#Livros | Desejo ler em março


Olaaaaaaaar ~tuts tuts tuts~ tudo bem com vocês? Espero que sim.  Acho que a maioria já me conhece, vou deixar um banner com um pequeno sobre mim feito pela Luna no final do post, mas antes vou me apresentar um pouquinho. Me chamo Geovana, amo únicornios e aliens, faço aniversário dia 31/03, sou dona do blog Radioativa, amo animes, jogos (lol principalmente), escrever o que sinto, livros, design e outras coisas. Como a Ester eu gosto de ficar enrolando aqui na introdução -q, também amo escrever com erros propositais (já viram que escrevi "olar" ali não foi? :v) e gosto de usar emoji em tudo. Enfim, não crio muitas metas para mês/ano novo mas uma meta para esse mês é ler 10 livros. Decidi mostrar uns desses livros pra vocês. Acho que o post vai ficar longo T-T
Ela não é invisível: 'Esse thriller combina um envolvente mistério com questões existenciais de forma brilhante.' - Booklist, starred review
Laureth é uma adolescente cega de 16 anos, e seu pai é um autor conhecido por escrever livros divertidos. De uns tempos pra cá, ele vem trabalhando em uma obra sobre coincidências, mas jamais consegue terminá-la. Sua esposa acha que ele está obcecado e prestes a ter um ataque de nervos.
Laureth sabe que o casamento dos pais vai de mal a pior quando, de repente, seu pai desaparece em uma viagem para a Áustria e seu caderno de anotações é encontrado misteriosamente em Nova York. Convencida de que algo muito errado está acontecendo, ela toma uma decisão impulsiva e perigosa: rouba o cartão de crédito da mãe, sequestra o irmão mais novo e entra em um avião rumo à Nova York para procurar o pai. Mas a cidade grande guarda muitos perigos para uma jovem cega e seu irmãozinho de 7 anos.
Eleanor e Park: Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e “grande” (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família. Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo.

Fique onde está e então corra: Alfie Summerfield nunca se esqueceu de seu aniversário de cinco anos. Quase nenhum amigo dele pôde ir à festa, e os adultos pareciam preocupados - enquanto alguns tentavam se convencer de que tudo estaria resolvido antes do Natal, sua avó não parava de repetir que eles estavam todos perdidos. Alfie ainda não entendia direito o que estava acontecendo, mas a Primeira Guerra Mundial tinha acabado de começar.Seu pai logo se alistou para o combate, e depois de quatro longos anos Alfie já não recebia mais notícias de seu paradeiro. Até que um dia o garoto descobre uma pista indicando que talvez o pai estivesse mais perto do que ele imaginava. Determinado, Alfie mobilizará todas suas forças para trazê-lo de volta para casa.
O pequeno príncipe: Um piloto cai com seu avião no deserto e ali encontra uma criança loura e frágil. Ela diz ter vindo de um pequeno planeta distante. E ali, na convivência com o piloto perdido, os dois repensam os seus valores e encontram o sentido da vida. Com essa história mágica, sensível, comovente, às vezes triste, e só aparentemente infantil, o escritor francês Antoine de Saint-Exupéry criou há 70 anos um dos maiores clássicos da literatura universal. Não há adulto que não se comova ao se lembrar de quando o leu quando criança.
Trata-se da maior obra existencialista do século XX, segundo Martin Heidegger. Livro mais traduzido da história, depois do Alcorão e da Bíblia, ele agora chega ao Brasil em nova edição, completa, com a tradução de Frei Betto e enriquecida com um caderno ilustrado sobre a obra e a curta e trágica vida do autor.

Triângulo de 4 lados: Unhas mal pintadas de preto e camisas de bandas. Ela ama O Diário de Bridget Jones, chocolate, e a banda Misfits. Odeia trovões, lágrimas, e ser chamada de criança. Sara Alcântara tem 17 anos e, como qualquer garota de sua idade, tem um relacionamento de amor e ódio com a mãe, com seus estudos, e com a própria vida. Ama suas amigas, que são seu suporte, e sua base. Tira boas notas na escola, por obrigação, mas deseja ser artista, porque pintar é sua verdadeira vocação. Até aquela paixão adolescente, platônica, ela possui. Ele tem nome, sobrenome, e grau de parentesco. Rodrigo Guano é seu primo, e sonho de consumo de toda a população feminina da pequena cidade de Santa Fé, onde moram. Tudo muda quando ele a beija pela primeira vez. Então o mundo pode acabar, regimes podem cair, terremotos podem engolir a terra em rachaduras intermináveis, e Sara ainda estaria feliz. Ou assim ela pensa ser, até que viaja para Paris, para passar as férias. Quando volta, tudo está diferente, inclusive ela. Sara se vê inserida num triângulo amoroso... Ou seria um quadrado?

Objetos cortantes: Uma narrativa tensa e cheia de reviravoltas. Um livro viciante, assombroso e inesquecível.Recém-saída de um hospital psiquiátrico, onde foi internada para tratar a tendência à automutilação que deixou seu corpo todo marcado, a repórter de um jornal sem prestígio em Chicago, Camille Preaker, tem um novo desafio pela frente. Frank Curry, o editor-chefe da publicação, pede que ela retorne à cidade onde nasceu para cobrir o caso de uma menina assassinada e outra misteriosamente desaparecida.

Desde que deixou a pequena Wind Gap, no Missouri, oito anos antes, Camille quase não falou com a mãe neurótica, o padrasto e a meia-irmã, praticamente uma desconhecida. Mas, sem recursos para se hospedar na cidade, é obrigada a ficar na casa da família e lidar com todas as reminiscências de seu passado.
Entrevistando velhos conhecidos e recém-chegados a fim de aprofundar as investigações e elaborar sua matéria, a jornalista relembra a infância e a adolescência conturbadas e aos poucos desvenda os segredos de sua família, quase tão macabros quanto as cicatrizes sob suas roupas.

Espero que tenham gostado do post, um beijo e até 
Image Map

4 comentários:

  1. o pequeno principe, ai que amor, eu li quando pequena mas perdi o livro e to querendo a meses comprar ele para ler de novo, nem o filme eu vi ainda, isso porque tava super ansiosa para vê-lo, e tanto amor que eu comprei ate uma agenda dele esse ano.Eleanor e Park já ouvi falar tanto mas não tenho vontade, objetos cortantes também,o resto nunca ouvi falar.
    rebeldiaemv.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marjorie, eu quero muito ler ele, ouço/leio muita coisa boa sobre ele. Mas eu tô super preguiçosa e no momento estou estagnada sem ler livro algum. Beijo e até ♥

      Excluir
  2. Também quero ler o pequeno príncipe, os outros não conheço mas parecem bons!
    Bjs

    www.achadosdamila.com.br

    Fanpage - Achados da Mila

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ouço falar que OPP é puro amor ♥ é, parecem ser :v beijos e até ♥

      Excluir

✘ Aceito sugestões de postagens, dicas e muito mais.
✘ Estou aceitando qualquer tipo de TAG, porem não prometo responder todas, apenas aquelas que me forem de maior interesse!
✘ Você quer divulgar o seu blog aqui? Me mande um email que a gente conversa melhor sobre isso!
✘ Tem alguma duvida? Sempre existe as redes sociais do blog, os comentários e a aba de contato!
✘ Quer falar comigo? Só me mandar um email! Eu vou responder o mais rápido possível :3

Tecnologia do Blogger.